sexta-feira, 23 de setembro de 2016

Discípulo Cansado

Ele, porém, me respondeu: «Para você basta a minha graça, pois é na fraqueza que a força manifesta todo o seu poder.» Portanto, com muito gosto, prefiro gabar-me de minhas fraquezas, para que a força de Cristo habite em mim. E é por isso que eu me alegro nas fraquezas, humilhações, necessidades, perseguições e angústias, por causa de Cristo. Pois quando sou fraco, então é que sou forte. (2Cor 12,9-10)


Mestre, preciso te falar
Chego ao fim deste dia cansado, exausto.
Mas, venho cansado já há algum tempo.
Cansado da vida, cansado da sina, cansado de mim.

Meus passos estão mais curtos.
Minhas mãos perdem firmeza.
Minha memória... Esqueci...
Mestre, meus olhos são falhos...
Meus ouvidos querem ficar moucos.
Pois, venho cansado já há algum tempo.
Cansado da vida, cansado da sina, cansado de mim.

Minhas células se tornam tóxicas,
Minha voz enfraquecida
Canta e grita sem ser ouvida,
Minhas idéias esquecidas
São o que sobrou de mim.
A gravidade se faz mais pesada
Sobre meu frágil esqueleto
E meu coração vacilante
Bate errado a todo instante.
Mas, venho cansado já há algum tempo.
Cansado da vida, cansado da sina, cansado de mim.

Mestre, quando eu olho à minha volta
Vejo triste poucas formas.
Como num espelho turvo
Vejo os outros em sofrimento.
Somos como uma família
Muito unida no sofrer.
Já não tenho otimismo
Porque venho cansado já há algum tempo.
Cansado da vida, cansado da sina, cansado de mim.

Mestre, perdoa-me os lamentos,
São meus pobres sentimentos
Que eu quero partilhar.
Sei que me escutas,
Meus resmungos e lamúrias
E meu coração a reclamar.
Mestre, eu sei muito bem
Que sofreste muito além
Do que eu possa imaginar.
Mas, venho cansado já há algum tempo.
Cansado da vida, cansado da sina, cansado de mim.

Mestre, já estou de saída
Pois eu venho na lida
Para te anunciar.
Porém, eu compreendo
Que nas minhas fraquezas
Tua força está.
Mestre, todo o meu cansaço,
Todo o meu sofrimento
Quero te ofertar.
Mestre, venho cansado já há algum tempo.
Cansado da vida, cansado da sina, cansado de mim.
Mas, não me canso de Ti,
Não me canso de ti.
E não me canso de ti.



Pe. Demetrius