quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

1. Rezando como discípulo(a) de Jesus Mestre - Ambientação

Mas você, quando rezar, vá para o seu quarto, feche a porta e reze ao seu Pai, que não pode ser visto. E o seu Pai, que vê o que você faz em segredo, lhe dará a recompensa. (Mt 6,6)

1. Preparar o Ambiente:

            Toda oração deve ser preparada com amor. A oração é a conversa, o diálogo com a pessoa mais importante. Devemos, numa atitude de amor, preparar a terra para receber a semente. Em oração, temos de preparar o ambiente exterior: sala, quarto, altar, canto, etc., e também preparar o coração: sentimentos, silêncio interior, transparência, etc...

a) Preparar o ambiente exterior

            Aprendi com os jovens que o ambiente exterior deve refletir nosso amor. Por isso, a vela acesa é sinal de que “Deus está presente”. Uma almofada e, sobre esta, a Bíblia é a acolhida da Palavra em nosso coração. O perfume ou incenso nos recorda o suave e gostoso odor de Cristo em nossa vida que, pelo Espírito Santo, invade nossas narinas e enche nossos pulmões de vida. Uma simples flor é sinal de amor e presença de toda a Criação em nosso altar pessoal. Outros elementos são acrescentados de acordo com a criatividade. Uma face amorosa de Jesus Mestre toca o coração através de seu olhar de ternura. Dois gravetos entrelaçados nos recordam a Doação total de Jesus na Cruz. Meu quarto, meu cantinho se tornou numa verdadeira capela de louvor...

b) Preparar o ambiente interior

            A oração é diálogo interior com Deus. O Mestre Jesus nos ensinou a rezar com o coração. Ele ia para a montanha e passava horas em diálogo com o Pai. Ele carregava em seu coração as Escrituras e meditava sobre elas com muito amor. O coração do Mestre era e é um ambiente preparado para a conversa com Deus. Jesus mais escutava do que falava...

            Aprendi com os idosos que é preciso fazer silêncio para escutar a voz de Deus, a brisa leve soprando com ternura. Assim, em nossa oração precisamos silenciar nosso coração. Um pequeno e suave fundo musical entra em contato com nosso interior e abre o caminho para a passagem da brisa leva. Um pequeno refrão, repetido algumas vezes, é sinal de nossa abertura para a voz do Senhor. Algumas respirações suaves e profundas preparam nosso espírito para acolher o Espírito Santo, Mestre de oração. Sentar-se confortavelmente imaginando-se na presença do Pai, no colo de Jesus Mestre, imaginar o rosto de Cristo, nos insere no Mistério Divino. Desliga-se o fundo musical, cessam-se as preocupações, silencia-se o coração, acalma-se a mente. Agora somos terra boa onde a semente da Palavra pode brotar, crescer e dar frutos: cem, sessenta, trinta por um. Tomar consciência das preocupações, inquietações, pecados, pequenez...

            Quando silencio o meu coração torno-me transparente diante de Deus, apresento-me como sou verdadeiramente, pois a “mentira é inimiga do silêncio!” Sendo quem sou, as Escrituras encontram no meu silêncio uma verdadeira caixa de ressonância onde ecoará o amor de Deus. O silêncio do Coração é como a caixa do violão, onde o dedilhar das Escrituras faz soar a bela melodia do Amor de Deus.


Padre Demetrius Silva

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Tenha educação...