terça-feira, 22 de julho de 2014

Como o Beija-Flor

 Jesus ficou de pé e gritou: «Se alguém tem sede, venha a mim, e aquele que acredita em mim, beba. É como diz a Escritura: ‘Do seu seio jorrarão rios de água viva’.» (Jo 7,37-38)

Hoje encontramos um beija-flor na Igreja. Pequenino. Também é chamado de colibri. Eu conhecia pelo nome de cuitelinho. Lembrei-me da música interpretada por Pena Branca e Xavantinho.

Admirávamos o pequenino beija-flor pousado numa linda orquídea ornando a nossa Mesa da Palavra. Tiramos algumas fotos encantados por sua beleza. Depois percebemos que nosso pequenino amigo estava muito fraco, quase morrendo, pois ficara preso na igreja e passara a noite procurando a saída sem encontrar. O cuitelinho consumiu toda a sua energia, e agora já não tinha mais força para voar e procurar alimento.

Uma amiga resolveu pegá-lo com as mãos para salvá-lo de seu triste destino. Ele era delicado, muito pequeno, lindo e corria risco de morte. Eu preparei um soro: água e açúcar orgânico. Demos ao bichinho. Seu biquinho revelava em pequenina língua que aos poucos foi bebendo a solução adocicada. 

Ele tem um metabolismo acelerado que assimila rapidamente a solução e a transforma em energia. Rapidamente percebemos sua melhora. Ele sabia que cuidávamos dele e que lhe queríamos bem! Em poucos minutos o cuitelinho alçou vôo como que nos agradecendo pela ajuda.

Hoje, nós cristãos enfrentamos situação semelhante. Recebemos o batismo quando pequeninos e somos educados numa fé infantil que já não responde aos problemas de nosso tempo. Crescemos em estatura, mas não no conhecimento das coisas de Deus. Adultos, nos vemos embrenhados nas trevas da dúvida e buscamos respostas prontas para  problemas que exigem muita contemplação, oração e estudo. Chega o momento em que, nas trevas, perdemos nossa energia de viver: a fé. 

Sem Cristo, caímos desfalecidos e, exaustos, já não temos motivação para viver. Ficamos na igreja como o colibri na orquídea: enfeite, ornamento, mas sem força para viver. É nessa hora que precisamos da ajuda de gente que gratuitamente nos dê a doçura de Cristo. Gente que se esforça por nos alimentar na fé dando-nos o néctar da Palavra de Deus e sua interpretação. E assim, alimentados pela doçura da Palavra que é Cristo, podemos alçar o vôo que só os verdadeiros discípulos e discípulas podem realizar. Isto é a verdadeira liberdade.

Vejo que os bons padres e pastores são aqueles alimentam o povo com a doçura da Palavra de Deus e sua interpretação. Não há como enfrentarmos os desafios do mundo atual sem a espiritualidade alicerçada na Palavra de Jesus Mestre. Mais do que nunca padres e pastores são necessários para fazer dos cristãos gente adulta na fé. Padres e pastores apaixonados pelo Mestre e sua Palavra... Só isto basta!

Oração: Senhor Jesus Cristo, Mestre de mim, sou como o colibri sedento por vossa doçura. Alimentai-me com o néctar de vossa Palavra e, quando eu estiver desfalecido, sustentai-me com vossa ternura. Assim seja!

Pe. Demetrius Silva

2 comentários:

  1. Padre Demetrius, a tua benção! Quero te agradecer pelas partilha de teu blog. Sou de São Paulo. Te conheci quando você trabalhava aqui na Zona Leste. Você sempre foi um homem apaixonado por Jesus. Sua simplicidade sempre me encantou. Aprendo a ler a Bíblia com você. Hoje eu a leio todos os dias. Muita coisa mudou em minha vida depois que a Bíblia entrou em meu caminho. Isso eu devo a você que foi instrumento nas mãos de Jesus. Hoje eu posso acompanhar suas reflexões pelo blog Mestre de Mim. Frei, voce deve escrever mais, pois suas Palavra ajudam muita gente. Mesmo que sejam poucos os que acessam seu blog, Deus tem usado de suas palavras para mudar os corações. Eu sou um exemplo. As pessoas de sua paróquia nao imaginam o privilégio de ter você como pároco. Suas pregações revelam a essência da fé. Jesus sempre foi o seu assunto predileto. Aqui na zona leste, as pessoas lotavam as missa presididas pelo frei. Espero que estejam cuidando bem de você. Você merece. Te agradeço pelo seu amor a Cristo. Um dia quero te visitar e participar da sua missa. Muito obrigada. Como você dizia: paz e bem.

    Diva - São Paulo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Diva, muito obrigado. Veja, não exagere, pois é Deus quem faz tudo. Mas, eu sei que você disse isso. Seu comentário veio numa hora preciosa onde eu precisava da ternura de Deus. Você foi instrumento dessa Ternura. Paz e bem!

      Excluir

Tenha educação...