quinta-feira, 24 de abril de 2014

O direito de ser corrigido

Meus irmãos, também eu estou pessoalmente convencido de que vocês estão cheios de bondade e repletos de todo conhecimento, para se corrigirem uns aos outros. (Rm 15,14)

Aprendi na vida franciscana que todos temos o direito de ser corrigido. Isso mesmo, ser corrigido é um direito que todos temos. 

Infelizmente no Brasil temos uma cultura em que corrigir o outro é uma coisa feia ou até proibida. Se o outro fala errado não podemos corrigi-lo. Ensinar a falar corretamente é mais feio do que falar erroneamente. 

Certa vez, um amigo conversava conosco e tinha uma tremenda “caca"  saindo do nariz. Todo mundo estava com nojo e ninguém falava para ele. Após 10 minutos de conversa, chamei-o num canto e falei para ele. Ele me agradeceu, mas reclamou porque não o avisei antes. 

Quando uma pessoa nos corrige nosso primeiro sentimento é de insulto e não de agradecimento. Cometemos erros e reclamamos daqueles que nos corrigem e ensinam o que é certo. Um orgulho nos impede de ser humilde e nos faz chatear com quem quer nos ajudar.

Numa missa em minha paróquia, uma pessoa recebeu a comunhão na boca, dirigiu-se até o banco, tirou a comunhão da boca, partiu e deu uma parte à criança que a acompanhava. Na semana seguinte, em particular, chamei a atenção dessa pessoa e a corrigi de seu erro. Ainda assim, algumas pessoas ficaram sabendo (pastoral da língua comprida) e comentaram que eu errei, pois aquela pessoa sairia da Igreja. 

Outras pessoas chegam à missa apenas na hora da comunhão, entram na fila e comungam. Eu as corrijo, pois quem não escuta a Palavra não deve comungar. Vejo lideranças da comunidade reclamando desta correção sempre alegando que a pessoa pode se sentir ofendida e não voltar à Igreja. Traduzindo: ensinar o certo é errado!!!

Jesus Mestre nos ensina que fica difícil viver em comunidade quando a pessoa, repleta de melindres, não aceita ser corrigida. Viver em comunidade exige a capacidade de corrigir e de ser corrigido. Falar a verdade com ternura, mas sempre falar a verdade. 

As vezes, alguém está vivendo uma terrível situação de pecado e ninguém fala nada para ela. A pessoa continua em seu pecado e a situação piora cada vez mais. Eu repito: a pessoa tem o direito de ser corrigida. O verdadeiro amigo é aquele que nos fala a verdade porque nos ama. Quando amamos verdadeiramente uma pessoa, lhe falamos a verdade para que a pessoa seja feliz. Não podemos aceitar a desculpa de que a pessoa vai se afastar ou deixar de falar conosco. A verdade é o maior gesto de amizade que podemos dar.

Por fim, devo lembrar que a aceitação da correção é um gesto de humildade nascido no seio da espiritualidade cristã. Correção é uma atitude de amor e só pode saborear este amor quem se deixa corrigir pela verdade. Precisamos abandonar alguns melindres e aceitar que não somos perfeitos. Precisamos de correção. O Evangelho é a grande força que nos corrige. 


Oração: Senhor Jesus Cristo, Mestre de mim, fazei que eu aceite ser corrigido por meus irmãos e irmãs, com base na verdade que é vosso Evangelho. Que a verdade nunca me ofenda, pois o erro e o pecado estão em mim. Ajudai-me a abandonar os melindres que me impedem de viver a espiritualidade dos humildes. Assim seja. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Tenha educação...