sexta-feira, 28 de março de 2014

Creio na Ressurreição

Anos atrás, num dia 01 de novembro, um jovem de nossa Igreja foi assassinado com cinco tiros. Estive com a família no hospital. Recebi a missão de comunicar à família sobre a morte de seu filho mais jovem. Lágrimas, revolta, tristeza e desânimo. Não sabia o que dizer para consolar a família. A única mensagem que me vinha à mente era a profissão de Fé que dizia:  ...Creio na ressurreição dos mortos... Repetimos o credo diversas vezes. Foi o que nos deu força. 

No velório, outros 3 jovens também tinham sido assassinados. Quanta tristeza... Novamente não tinha palavras para consolar. Só encontrei forças nas palavras de Jesus: Não fique perturbado o coração de vocês. Acreditem em Deus e acreditem também em mim. Na casa de meu Pai existem muitas moradas. Se não fosse assim eu lhes teria dito, porque vou preparar um lugar para vocês. E quando eu for e lhes tiver preparado um lugar, voltarei e levarei vocês comigo, para que onde eu estiver, estejam vocês também (Jo 14,1-3).
            
Tudo isso me levou a refletir: Será que creio realmente na ressurreição dos mortos? Novamente fui buscar na Palavra de Deus as respostas para nossa fé...

A Morte
Diz o ditado: A única certeza que temos na vida é que vamos morrer! Esse ditado é quase verdade. De fato temos certeza de que todos morreremos um dia. Mas a fé também nos dá a certeza da ressurreição!!! A Bíblia nos descreve que a morte é fruto do pecado (Gn 2-4). Pelo pecado da origem da humanidade, que buscava ser como Deus, a morte entrou na vida humana e alastrou um caminho de tristeza e dor.
            
No Antigo Testamento se acreditava que, após a vida, o ser humano habitaria a Mansão dos mortos, isto é, o Xeol. Um lugar onde não há vida. Um lugar onde deixaríamos de existir. Não havia ainda a esperança de vencer a morte. Uma vida longa era o resultado de uma vida abençoada por Deus.
            
A Morte é uma realidade triste. Muitos têm medo. Outros preferem sonhar que os mortos voltam (reencarnação). A Igreja prefere crer que a vida continua depois da morte, pois foi o que Jesus nos ensinou. Ninguém volta (Hb 9,27) e os vivos podem fazer da vida um suave caminhar para Deus com a transição da morte. Encarar a morte não como fim, mas como transição para um momento eterno de amor.

A Ressurreição na Bíblia
Encontramos o primeiro relato claro da esperança da Ressurreição na Bíblia no segundo livro de Macabeus, no capitulo 7. Toda uma família (a mãe e seus 7 filhos) é torturada e assassinada pelo rei grego Antíoco. O Filho mais novo (vers. 30-40) testemunha que Deus dá a vida eterna como prêmio para quem for justo e fiel.

No tempo de Jesus, os fariseus eram os grandes anunciadores da Ressurreição. Já os saduceus (sacerdotes e seus amigos) não acreditavam que a vida vencia a morte (Mc12,18-27).

É com a chegada de Jesus, que a Ressurreição é anunciada também para os pequenos e pecadores. Jesus é a testemunha da Ressurreição.

Vejamos, então, o testemunho bíblico da ressurreição de Jesus. A morte de Jesus é atestada por todos os evangelistas (Mt 27,50; Mc 15,37; Lc 23,46; Jo 19,30). Após a Sua morte, Jesus foi sepultado em um sepulcro, que, em virtude de sua ressurreição, os discípulos o encontraram vazio (Jo 16,5-6). Jesus apareceu, ressuscitado, pelo período de 40 dias aos seus discípulos, até que subiu aos céus (At 1,1-11). Algumas pessoas viram a Jesus: 1) Maria Madalena – no túmulo (Jo 20,11-18); 2) Várias mulheres – próximas ao túmulo (Mt 28,9-10); 3) dois discípulos – no caminho de Emaús (Lc 24,13-32); 4) Pedro – em localização indefinida (Lc 24,33-35); 5) aos dez discípulos – no salão superior (Lc 24,36-43); 6) aos onze discípulos – no salão superior (Jo 20,26-31); 7) a sete discípulos – no Mar da Galileia (Jo 21,1-25); 8) aos onze discípulos – no monte (Mt 28,16-20), e talvez, nesse mesmo lugar, aos 500 irmãos (1Cor 15,6-9); aos discípulos – próximo a Betânia (At 1,9-12). Vários líderes religiosos deixaram suas marcas e ensinamentos na história da humanidade. Todos morreram e seus restos mortais ainda se encontram na sepultura. Somente o sepulcro de Jesus se encontra vazio, a respeito dEle, os anjos disseram: “Ele não está aqui, porque já ressuscitou” (Mt 28,6). Esse é motivo de grande surpresa, como o foi para os oficiais romanos (Mt 28,2-4), para todos nós também. Os discípulos, por sua vez, passaram a ter plena convicção daquele acontecimento, o que lhes trouxe coragem e ousadia. Homens que, de medrosos, passaram a anunciar o Evangelho de Cristo, sacrificando suas próprias vidas por amor a Cristo (Jo 20,28; At 2,24-32; 3,15; 5,30).

A Ressurreição de Jesus e a nossa vida
Jesus venceu a morte. Jesus matou a morte e a morte morreu de susto ao ver Jesus ressuscitado. Sim, a morte continua a existir. Continua a ser um problema para todos, mas adquiriu um tom de esperança. A morte deixou de ser desespero para ser um momento de esperança. Uma porta que se abre para uma vida nova, uma vida diferente. No fim da história a morte é derrotada para sempre (Ap 20,14). 

Não nascemos para morrer. Nascemos, temos de morrer; mas morremos para viver em Deus e com Deus. Perante a morte dos outros, é legítimo o luto, as lágrimas, a dor, a tristeza o sofrimento de perder um ser querido. Mas a esperança da ressurreição dá um sentido novo ao morrer. A morte não é o fim. A morte é uma passagem dolorosa (ou não…) para outra forma de vida.

Esta é a fé cristã baseada na ressurreição de Jesus. Estamos salvos… Estamos ressuscitados… Em esperança. Um dia tomaremos posse dessa luminosa esperança… Por isso eu Creio na ressurreição dos mortos.

Oração: Senhor Jesus Cristo, Mestre de mim, sois o Vivente, sois a Ressurreição e a Vida. Impregnai minha vida com a vossa ternura para eu seja uma criatura nova. Apagai em mim todo sinal de morte e renovai cada célula minha com a força da Ressurreição. Assim seja!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Tenha educação...