sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

Amor Total

As montanhas podem desaparecer, os montes podem se desfazer, mas o meu amor por você não acabará nunca, e a minha aliança de paz com você nunca será quebrada.” É isso o que diz o Senhor, que tem amor por você. (Is 54,10)
Certo homem cometeu homicídio. No júri popular foi condenado. Na prisão foi espancado. Sua história foi marcada pelo ódio desde o nascimento. Foi rejeitado pelo pai. Cresceu em meio a violência. Sofreu junto à mãe: fome, miséria, abuso de drogas, etc.

Na prisão ganhou uma Bíblia. Esta tornou-se companheira de todas as horas. Lendo-a sentia-se confortado, amparado por uma força desconhecida. Com a Bíblia ganhou consciência de seus erros e pecados. Arrependeu-se de verdade e decidiu mudar de vida.

Esse homem conheceu a Deus no lugar onde menos se esperava: na prisão. Foi lá, no meio da violência, o lugar onde ele conheceu a paz. Deus não desistiu dele. O amor não acabou.

O homem saiu da prisão. Ingressou na Igreja. Encontrou uma mulher que o amou. Casou-se. Tem filhos. Tudo fruto do amor. Ainda chora muito pelo crime cometido. Sabe o tamanho de seu pecado. Mas descobriu o tamanho do amor de Deus: infinito.

Esse homem trabalha muito. Divide seu tempo com a família, trabalho e Igreja. Divide seu salário com a família da vítima de seu crime. Coisa rara. Tudo isso porque conheceu o amor de Deus.

Somos amados por Deus. Seu amor por nós é para sempre. Esse amor é capaz de transformar os corações mais violentos em instrumentos de paz. Nossas vidas podem ser curadas por esse amor. Mesmo que todos nos odeiem, ainda nos resta o amor de Deus. Amor eterno e sem medidas.

Mesmo que tenhamos desistido de Deus, Deus nunca desistirá de nós.

Oração: Ó Espírito Santo de amor, derramai sobre mim o infinito amor do Pai, manifestado em Jesus Cristo, Mestre de mim, para que eu nunca me esqueça de onde eu vim e para onde irei, sempre acompanhado de vossa presença de paz. Assim seja.

Pe. Demetrius Silva - Equipe Bíblica Ruah

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Coração de pedra x Coração de carne

“Darei a eles um coração íntegro, e colocarei no íntimo deles um espírito novo. Tirarei do peito deles o coração de pedra e lhes darei um coração de carne.” (Ez 11,19)

Pedras não se movem, não respiram, não falam, não ouvem, não pulsam, não sentem. Enfim, pedras não vivem.

Coração, um órgão que é puro músculo, válvulas, carne. No ocidente é símbolo dos sentimentos. No oriente é a sede (local) das decisões fundamentais. Na Bíblia é o íntimo, o profundo essencial do humano.

Quanto coração de pedra em nosso tempo. Quantas pessoas decidiram parar de viver suas vidas para viver a vida dos outros. Quanto tempo perdido em revistas, sites, programas que falam da vida dos outros. Gente que vive em função do que os outros vestem, falam, fazem, pensam… 

Como planetas orbitando o Sol, há pessoas que vivem suas vidas orbitando as vidas de artistas, atores e de gente famosa. Sabem tudo sobre seus “ídolos” e nada sobre si próprios. 

Passados os anos, são dominados pelo vazio e percebem que suas vidas não valeram a pena. O coração tornou-se pedra.

Com Deus é diferente. Quando orbitamos o Sol que é Cristo, a Lei da gravitação universal do amor atua em nós. Ao saber de Cristo saboreamos mais a nossa própria vida. Conhecer a Deus, mesmo que de forma limitada — Ele é infinito — faz de nós conhecedores profundos de nossa humanidade. 

A intimidade com Cristo nos leva a uma experiência profunda de transformação de nosso coração: Deus retira o coração de pedra, vazio, mesquinho, e coloca em nós um coração de carne, vivo, pulsante. 

Deus nos coloca um espírito novo, onde o vazio não nos domina, onde a angústia não fala mais alto. É assim que nossa vida torna-se mais viva.


Oração: Pai Santo, tirai de mim o coração de pedra dominado pelo vazio e pela mesquinhez. Colocai em mim um coração vivo semelhante ao coração de vosso amado Filho, afim de que eu possa Vos amar sobre todas as coisas. Assim seja. 


quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

Direto ao Assunto I


O Amor vence o medo

No amor não existe medo; antes, o perfeito amor lança fora o medo. Ora, o medo produz tormento; logo, aquele que teme não é aperfeiçoado no amor. (1Jo 4,18)

Nosso mundo é hoje dominado por medos e fobias. O pânico é um sentimento que acompanha muitos corações. Tranquilizantes, antidepressivos, calmantes, drogas e bebidas em excesso são comuns na vida humana. O medo é a raiz de muito sofrimento.

Nos trancafiamos em casas e condomínios cercados de muros altos, alarmes, câmeras, cercas elétricas, segurança privada, e ainda assim, nos sentimos inseguros. 

Consultórios e divãs tornaram-se confessionários. Médicos e psicólogos tornaram-se sacerdotes do mundo contemporâneo. Padres e pastores tornaram-se médicos e curandeiros. E todos giram em torno da doença que tira a paz: o medo. 

Mas, como ter coragem neste mundo de medo? É aqui onde nos enganamos. Pensamos que o oposto ao medo é a coragem. Mas, não! É o amor. 

O amor é o antônimo do medo. O amor afasta o medo. O amor é Cristo. Cristo é o nosso porto seguro onde atracamos nossa alma. Cultivar a intimidade com Cristo é garantia de equilíbrio e coragem. Nós podemos ter uma vida melhor. Basta que permaneçamos em Cristo e Ele em nós.


Oração: Senhor Jesus, Mestre de mim, caminho que leva ao Pai, afasta de mim todo medo, fobia e insegurança. Leva-me a compreender que só o amor traz a paz e o equilíbrio. Permaneça em mim e que eu permaneça em ti. Assim seja.


terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

Comer o Livro

“Eu, João, fui, e pedi ao Anjo que me entregasse o livrinho. Ele falou comigo: Pegue e coma. Será amargo no estômago, mas na boca será doce como mel.” (Ap 10,9)

Poucos são acostumados a ler livros. E livros existem para ser lidos. Se os leitores são poucos, bem menos são aqueles que comem livros.

O Evangelho não existe para ser lido. Existe para ser comido, devorado, saboreado por nós. Porém são muito poucos os devoradores do Evangelho.

Muitas pessoas procuram livros de auto-ajuda para resolverem seus problemas e dilemas. Poucos buscam o Evangelho. Queremos sucesso, riqueza, fama, etc. Mas, o que Evangelho nos garante?

O Evangelho nos garante alimento, vida, sentido, razão para viver. O Evangelho nos garante força e doçura para enfrentar o amargor que está dentro de nós. O Evangelho é garantia de que não desanimaremos diante das dificuldades e injustiças.

O Evangelho está à procura de devoradores. De gente que leia e comungue os princípios e valores de Jesus de Nazaré. Procura corações que apostem suas forças no amor de Cristo.
E aí? Você não sente fome deste livro? Você não quer uma saborosa refeição? Coma o livro!!! Ele espera por você.

Oração: Senhor Jesus, Mestre de mim, faça com que eu tenha fome de seu Evangelho. Eu quero devorar tua Palavra de vida para ter em mim teus sentimentos. Amém!


Autenticidade e Transparência



"Seja o seu ‘sim’, ‘sim’, e o seu ‘não’, ‘não’; o que passar disso vem do Maligno”. (Mt 5,37)

Muitas vezes somos tentados a ser aquilo que não somos. O mundo de hoje é alicerçado sobre as aparências e dita normas de moda e de conduta que tornam as pessoas mais distantes dos valores que realmente valem a pena. 

O efêmero toma o lugar do eterno, e a palavra humana perdeu sentido e valor.

Para a construção da felicidade não há espaço para a mediocridade. Ou somos quente ou somos frio. O morno de nossa sociedade não é capaz de fazer-nos felizes. Um mundo de ilusão e mentira não é real.

Sejamos nós mesmos. Pensemos com nossa própria cabeça. Sintamos com nosso próprio coração. Ajamos com nossas próprias mãos. Que o nosso sim seja sim e o nosso não seja não. O resto só causa o mal.

A transparência e a autenticidade pregadas por Jesus são experiências a serem vividas por nós. A felicidade só pode ser conquista assim. Ela espera por nós.

Oração: Pai de bondade,que nos deste vosso filho como Mestre e Senhor, fazei de mim instrumento de paz autêntica para que, pensando com minha cabeça e sentido com meu coração possa alcançar a felicidade perfeita. Assim seja.



Beber na Fonte


Jesus ficou de pé e gritou: “Se alguém tem sede, venha a mim, e aquele que acredita em mim, beba. É como diz a Escritura: ‘Do seu seio jorrarão rios de água viva’.” (Jo 7,37-38)

Todos nós temos sede. Todos buscamos sentido para nossas vidas. Buscamos saciar nossa sede e lutamos por conseguir descobrir a razão de nossa existência. 

Como peregrinos ressequidos e desidratados vamos bebendo as águas que a vida nos oferece. Torneiras, bicas, cacimbas, poças, rios poluídos, lagoas são experimentadas por nós no caminho de nossa história.

Bebemos e voltamos a ter sede. As águas do mundo não nos saciam. Sentimo-nos vazios e carentes porque acreditamos que a felicidade se encontra fora de nós. Culpamos os outros: pessoas, igrejas, empregos, amigos… Eles se tornam culpados… Mas não são. São apenas águas que não saciam. 


O sentido de nossas vidas deve ser buscado dentro de nós. É no profundo de nossas almas que encontramos água-viva. Lá está a Fonte. Nada mais saboroso e refrescante do que a água na fonte. Esta água nos sacia. Ela é Cristo. busquemos em nosso interior a água que jorra vida eterna.

Oração: Jesus Mestre de mim, dá-me energia para trilhar o caminho mais longo e difícil: o caminho do coração. Que neste caminho eu possa encontrar a fonte que és Tu. Assim seja!



A Alegria que cura


"Coração alegre ajuda a sarar, mas espírito abatido seca os ossos." Pv 17,22

Os sentimentos negativos são inevitáveis. Mais cedo ou mais tarde eles aparecem em nossa vida. Nosso espírito fica abatido e nosso semblante torna-se sombrio.

Apesar de serem inevitáveis, esses sentimentos são alimentados por nós quando insistimos em permanecer pensando neles. 


Da mesma forma que bois e vacas ruminam a grama, nós ruminamos os sentimentos negativos como se isso fosse resolver nossos problemas.

O espírito abatido só serve para nos tirar saúde e vida. Precisamos cultivar a alegria no coração procurando enxergar nos problemas a oportunidade para crescermos nas adversidades. O bom humor é a virtude que pode curar nossos males e que faz a vida ser mais vida.

A alegria e o bom humor são atitudes necessárias para o nosso bem estar. Lamentos e tristezas não nos ajudam a solucionar os problemas, retiram de nosso coração a capacidade de amar e de nosso rosto a capacidade de sorrir. Como Jesus, precisamos apostar nossas vidas no caminho do amor e da esperança.

Oração: Senhor Jesus, Divino Mestre, que meu coração saiba alegrar-se com a simplicidade e beleza da criação. Que meu espírito seja semelhante ao vosso. Que meu rosto não perca a capacidade de sorrir e o brilho no olhar. Amém!


Fruticar nas podas

“Todo ramo que não dá fruto em mim, o Pai o corta. Os ramos que dão fruto, Ele os poda para que dêem mais fruto ainda.” (Jo 15,2)

Muitas vezes em nossa vida temos momentos bons e alegres que nos faz sentir que a vida vale a pena. Nesses momentos costumamos agradecer a Deus pela graça derramada sobre nós. 


No entanto, há momentos em que somos surpreendidos por circunstâncias negativas, reveses traiçoeiros que tiram nossa serenidade, roubando-nos a paz.

Nesse momentos, onde nada parece dar certo, procuramos estabelecer uma relação de causa e efeito e buscamos uma causa ou um culpado para explicar o porque nossa vida virou um caos. 

Esses momentos nos causam dor. Mas se permanecermos em Cristo, sabemos que essa dor é apenas o resultado da “poda" feita pelo Pai Eterno. Quem é bom ramo dá frutos nos momentos bons. Mas, as dificuldades da vida nos podam para que possamos melhorar e dar frutos bons. 

As dores da vida nos melhoram. As circunstâncias de nossa história nos tornam humildes e fraternos. Saibamos que as dificuldades são passageiras. Essas podas passam. Daremos bons frutos se não perdermos a esperança. Esses frutos dependem de nossa capacidade de amar como Jesus amou.


Oração: Ó Pai de Bondade, Vós sois o vinhateiro de nossas vidas. Fazei-nos íntimos e ligados à videira que é Jesus, nosso Mestre. Que possamos dar fruto neste mundo tão dividido sem perder a fé, a esperança e o amor. Por nosso Senhor Jesus Cristo, na unidade do Espírito Santo. Amém!

Esquecer o passado



“Irmãos, não acho que eu já tenha alcançado o prêmio, mas uma coisa eu faço: esqueço-me do que fica para trás e avanço para o que está na frente.” (Fl 3,13)

É necessário deixarmos de olhar para o passado para podermos caminhar em direção ao futuro. Quando ficamos presos ao passado muitos sentimentos podem nos dominar tais como: culpa, desânimo, rancor, derrota. Ficamos amarrados ao que éramos ou o que passamos, não percebendo o dia de hoje e perdendo a esperança do futuro.

O Apóstolo Paulo, que no passado fora um oficial de justiça a serviço do Sinédrio, perseguindo e processando cristãos em nome da Lei, teve que se reconciliar com sua história para assumir o risco de viver o presente em Cristo Jesus e de construir o futuro.

Nós também precisamos esquecer o que fica para trás, mantendo o passado onde ele está: no passado. De nada adianta alimentar o que passou como se fosse algo sempre presente. Por mais terrível que seja o nosso passado, o presente é uma oportunidade sempre nova de construirmos um futuro melhor onde estaremos em paz com os irmãos e conosco mesmo.


Oração: Senhor Jesus, que o meu passado não aterrorize o meu presente. Dá-me a capacidade de viver um dia de cada vez e dá-me a serenidade para construir meu futuro nas possibilidades do amor. Amém!